Stephen Hawking - "humanos precisam de encontrar abrigo noutros planetas"

Posted on 08:16:00 by UNITED PHOTO PRESS MAGAZINE

O físico teórico Stephen Hawking – provavelmente, o maior do nosso tempo.
O físico britânico Stephen Hawking considera que “o risco de que um desastre destrua a Terra é cada vez maior”. Por isso, o cientista de 73 anos alerta que os humanos precisam de encontrar abrigo noutros planetas.

Em declarações proferidas em entrevista ao jornal El País, Stephen Hawking alerta também para os perigos da Inteligência Artificial, prevendo que, até daqui a cem anos, os computadores vão ultrapassar os humanos.

O físico refere ainda que não duvida de que há extraterrestres e diz que “o verdadeiro desafio” é descobrir como eles são.

“A sobrevivência da raça humana dependerá da sua capacidade para encontrar novos abrigos em outros lugares do universo, pois o risco de que um desastre destrua a Terra é cada vez maior”, diz Hawking.

Segundo o astro-físico, extraterrestres avançados podem transformar-se em nómadas e tentar conquistar e colonizar todos os planetas onde pudessem chegar.

“Para o meu cérebro matemático, de números puros, pensar em vida extraterrestre é algo do todo racional. O verdadeiro desafio é descobrir como poderão ser esses extraterrestres”, acrescenta.

O conceituado físico considera que, graças à inteligência artificial, em algum momento dos próximos cem anos os computadores ultrapassarão os humanos.

“Quando isso acontecer”, avisa Hawking, por muitos considerado o maior físico do nosso tempo, “temos que assegurar-nos de que os objectivos dos computadores coincidem com os nossos“,

“De certa forma, a minha incapacidade foi uma ajuda. Libertou-me de dar aulas ou de participar em comités aborrecidos e deu-me mais tempo para pensar e investigar”, confidencia Hawking na sua entrevista ao diário espanhol.

“Apesar de ter tido a desgraça de sofrer de uma doença neuromotora, fui muito afortunado em praticamente tudo o resto”, diz o físico, que sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica.

“Tive a sorte de trabalhar em física teórica, um dos poucos campos em que a minha incapacidade não era um obstáculo sério, e de que me saísse a lotaria com a popularidade dos meus livros“, confessa.

Stephen Hawking termina a entrevista com conselho a outras pessoas com incapacidades sérias: que se concentrem nas coisas que as suas menos-valias não os impeçam de fazer bem.

“E que não se lamentem por aquelas com as quais interfere”, conclui.