Rio Daldykan, ficou repentinamente vermelho


O rio Daldykan, situado na Sibéria, na Rússia, ficou repentinamente vermelho, e o mistério já está a ser investigado pelo Ministério dos Recursos Naturais do país.

O Ministério de Recursos Naturais e Meio-Ambiente da Rússia declarou, nesta quarta-feira, que acredita que o problema pode ter sido causado por uma rutura nos tubos de uma metalúrgica da região – a Norilsk Nickel -, o que provocou a descarga de um “químico não identificado”.

A empresa, uma das maiores produtoras mundiais de níquel e paládio, negou que tenha havido qualquer derrame e afirmou que “a cor do rio não difere das suas condições normais”, segundo a agência estatal RIA Novosti.

Ainda assim, a empresa reduziu temporariamente o ritmo de produção e garante que está a fazer testes ambientais.

O rio Daldykan não está ligado à rede pública de abastecimento, por isso não há quaisquer perigos imediatos para a saúde dos residentes de Norilsk, destacou a autarquia local, citada pela CNN.

De acordo com os habitantes, não é a primeira vez que o rio fica desta cor – a cidade é, aliás, considerada a mais poluída em toda a Rússia.

Norilsk está junto às maiores reservas mundiais de níquel, cobre e paládio, e atrai várias empresas de exploração mineira.

Costa Rica esteve 80 dias a consumir apenas energias renováveis

A Costa Rica esteve quase 80 dias seguidos a consumir apenas energia de fontes renováveis,

No Facebook, a empresa de eletricidade da Costa Rica anunciou que no país, desde 16 de junho até ao inicio deste mês, não foi consumido um kilowatt de energia que dependesse de combustíveis fósseis.

Em agosto, as necessidades energéticas alimentaram-se principalmente de energia hidráulica (80,27% do total), centrais geotérmicas (12,62%), turbinas de vento (7,1%) e energia solar (0,01%). No mês anterior, 59,1% da energia tinha sido produzida por turbinas de vento.

Em 2015, a Costa Rica passou 299 dias sem queimar petróleo, carvão ou gás natural, depois de um grande investimento por parte do Governo, e já esteve 150 dias a funcionar só com energias renováveis em 2016.

Com cerca de metade do território e da população portuguesa, a Costa Rica é também um país com recursos naturais favoráveis, como grandes períodos de chuva e uma temperatura de solo bastante alta devido à atividade vulcânica.

Para os bons resultados conseguidos contribui ainda o facto de a Costa Risca ter como principais indústrias o turismo e a agricultura, duas atividades que não necessitam de tanta energia.

Ainda este ano vai ser terminada uma central geotérmica que terá a capacidade de gerar 305,5 megawatts, o suficiente para alimentar 525 mil casas, de acordo com o Mashable.

Em maio deste ano, a EDP anunciou que durante 107 horas (cerca de quatro dias) Portugal esteve a consumir energia elétrica produzida exclusivamente com energias renováveis.

Stephen Hawking - "humanos precisam de encontrar abrigo noutros planetas"

O físico teórico Stephen Hawking – provavelmente, o maior do nosso tempo.
O físico britânico Stephen Hawking considera que “o risco de que um desastre destrua a Terra é cada vez maior”. Por isso, o cientista de 73 anos alerta que os humanos precisam de encontrar abrigo noutros planetas.

Em declarações proferidas em entrevista ao jornal El País, Stephen Hawking alerta também para os perigos da Inteligência Artificial, prevendo que, até daqui a cem anos, os computadores vão ultrapassar os humanos.

O físico refere ainda que não duvida de que há extraterrestres e diz que “o verdadeiro desafio” é descobrir como eles são.

“A sobrevivência da raça humana dependerá da sua capacidade para encontrar novos abrigos em outros lugares do universo, pois o risco de que um desastre destrua a Terra é cada vez maior”, diz Hawking.

Segundo o astro-físico, extraterrestres avançados podem transformar-se em nómadas e tentar conquistar e colonizar todos os planetas onde pudessem chegar.

“Para o meu cérebro matemático, de números puros, pensar em vida extraterrestre é algo do todo racional. O verdadeiro desafio é descobrir como poderão ser esses extraterrestres”, acrescenta.

O conceituado físico considera que, graças à inteligência artificial, em algum momento dos próximos cem anos os computadores ultrapassarão os humanos.

“Quando isso acontecer”, avisa Hawking, por muitos considerado o maior físico do nosso tempo, “temos que assegurar-nos de que os objectivos dos computadores coincidem com os nossos“,

“De certa forma, a minha incapacidade foi uma ajuda. Libertou-me de dar aulas ou de participar em comités aborrecidos e deu-me mais tempo para pensar e investigar”, confidencia Hawking na sua entrevista ao diário espanhol.

“Apesar de ter tido a desgraça de sofrer de uma doença neuromotora, fui muito afortunado em praticamente tudo o resto”, diz o físico, que sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica.

“Tive a sorte de trabalhar em física teórica, um dos poucos campos em que a minha incapacidade não era um obstáculo sério, e de que me saísse a lotaria com a popularidade dos meus livros“, confessa.

Stephen Hawking termina a entrevista com conselho a outras pessoas com incapacidades sérias: que se concentrem nas coisas que as suas menos-valias não os impeçam de fazer bem.

“E que não se lamentem por aquelas com as quais interfere”, conclui.

"Parem de lavar os vossos jeans, reclama o diretor executivo da levis

Chip Bergh – Director Executivo da Levi’s
O Director Executivo da Levi Strauss, Chip Bergh, falou de moda e sustentabilidade na conferência Fortune Brainstorm Green 2015, que decorreu esta terça-feira, alegando que as calças de ganga não precisam de ser lavadas; o par que estava a usar durante a conferência, afirmou, «não viu uma máquina de lavar» no último ano.

E quem somos nós para duvidar do especialista em jeans? Afinal, esta terça-feira as Levi’s 501 comemoraram o seu 141º aniversário.

«Nós somos os melhores a nível de vestuário sustentável», disse Bergh, acrescentando: «Se comprarem as nossas calças de ganga, elas vão durar muito, muito tempo».

No âmbito da sua dedicação à moda sustentável, a Levi’s apresenta uma nova linha de produtos, aWellthread, com tecidos mais fáceis de reciclar e que consomem menos energia e água. Esta linha está, actualmente, disponível apenas na Europa.

Chip Bergh falou também da forma de reduzir o consumo de água no seu negócio. Neste sentido, a marca está a produzir uma linha de produtos de ganga, denominada Waterless, que usa menos água no processo de produção – segundo dados de várias páginas na Internet, são usados mais de 2.500 litros de água por cada par de calças de ganga, tendo em conta também o consumo em casa, quando os jeans são lavados repetidamente para atingir a cor perfeita).

Se quer contribuir para a sustentabilidade ambiental, Bergh tem outra sugestão: deixar de lavar as calças de ganga, como o próprio Director Executivo afirma fazer.

Buraco engoliu uma praia na Austrália


Os turistas que acampavam na praia de Rainbow Beach, em Queensland, na Austrália, foram apanhados de surpresa quando um gigantesco buraco se abriu, a meio da noite deste sábado, “engolindo” uma grande parte da praia.

O buraco, do tamanho de um campo de futebol, engoliu um jipe, uma auto-caravana, um automóvel e várias tendas.

Mais de 100 pessoas que acampavam no local foram evacuadas, mas não há feridos ou vítimas mortais a lamentar.

Segundo a imprensa local, citada pela BBC, é a segunda vez em quatro anos que um buraco deste tipo se abre no mesmo local.

As autoridades locais alertaram os veraneantes para que não se aproximem da área, uma vez que o buraco pode vir a expandir-se.

Casa flutuante amiga do ambiente


A empresa inglesa EcoFloLife criou a “Water Nest” - “Ninho de Água” -, uma casa flutuante de luxo e amiga do ambiente, desenvolvida pelo arquitecto italiano Giancarlo Zema.

Com 100 metros quadrados, 98% da luxuosa casa flutuante é feita de materiais reciclados como alumínio e madeira laminada. O interior oferece luz natural através das grandes janelas. As varandas proporcionam ligação ao exterior.

O exterior da casa é resistente ao impacto e à corrosão, exigindo pouca manutenção. Já o interior tem um chão resistente a infiltrações e a mudanças de temperatura, humidade e à água salgada.

As superfícies usadas na cozinha e na casa-de-banho são resistentes ao bolor e às bactérias.

Como é amiga do ambiente, o telhado está revestido de painéis solares que geram energia capaz de fazer toda a casa trabalhar.

Além disso, está também equipada com uma tecnologia que permite aos residentes controlar a temperatura, luz e o som dos equipamentos, assim como regular o consumo de água e eletricidade.

As fotografias do protótipo incluem sala de estar, sala de jantar, cozinha, quarto de dormir e casa de banho. Porém, a “Water Nest” é totalmente personalizável, de acordo com os desejos de cada cliente.

A casa de 60 metros quadrados custa a partir de 500 mil euros, enquanto o modelo de 100 metros quadrados chega aos 800 mil euros.

McLaren verde




McLaren leva prêmio ambiental da FIA e confirma título de equipe mais sustentável da Fórmula 1. 

Se na Fórmula 1 a McLaren não começou bem a temporada, a equipe tem outros motivos para comemorar. A escuderia ganhou o Prêmio Ambiental do Instituto FIA, que reconhece as empresas com as melhores ações voltadas para asustentabilidade. 

Com esse reconhecimento, o time inglês reafirma outra fama, a de equipe mais verde da Fórmula 1. A McLaren foi pioneira em neutralizar as emissões de carbono na categoria, em 2011. 

Contaram pontos na conquista dessa marca ações como a instalação de um programa que monitora a condução e asemissões de poluentes dos caminhões da equipe. Com os resultados em mãos, os motoristas da frota foram instruídos a dirigir de forma consciente, deixando de emitir 1 500 toneladas de CO2 por ano. Os próximos objetivos do conglomerado de empresas, que inclui também a fábrica de esportivos, é zerar o despejo de lixo em aterros sanitários até 2015 e reduzir em 2,5% ao ano a emissão de gás carbônico. 

Nas pistas, a dupla Jenson Button e Sergio Pérez ainda não é páreo para a Red Bull de Vettel, mas a McLaren leva grande vantagem no campeonato de construtores mais limpos do circo da Fórmula 1. 

FLORESTA HI-TEC 


A fábrica de Woking, inaugurada em 2004, é a grande responsável pela redução nas emissões da McLaren. Além das 100 mil árvores plantadas durante a construção, a planta conta com um sistema que desativa o sistema de ar-condicionado e iluminação em áreas que não são utilizadas. A economia de energia é suficiente para iluminar 400 casas durante um ano.

Cientistas da NASA anunciaram existência de água em Marte

A agência espacial norte-americana revelou esta segunda-feira dados que permitem comprovar a existência de água em Marte.

Os cientistas da NASA anunciaram que o planeta vermelho não tem apenas gelo, mas também ribeiros de água salgada – pelo menos no período de verão, quando a água corre ao longo de canhões e das encostas das crateras marcianas.

Os cientistas afirmam ter detetado sais que só se formam na presença de água nos pequenos canais ao longo das encostas de montes e crateras na região equatorial do planeta, e consideram-nos sinais evidentes da presença de água corrente.

As marcas escuras e estreitas, de cerca de 100m de comprimento por 5m largura, foram registadas pela sonda MRO, da missão Curiosity em Marte. As encostas onde foram detetados os vestígios foramprimeiro referidas em 2011 e aparecem durante os meses de verão, desaparecendo quando as temperaturas descem.

Apesar das fontes e das características químicas desta água não serem ainda conhecidas, a descoberta pode mudar a nossa forma de pensar sobre o planeta vermelho.

A possibilidade de existir vida em Marte, o planeta mais parecido com a Terra em todo o Sistema Solar, é agora mais elevada, acrescentam, e seria provavelmente microbiana.

As conclusões foram publicadas no Nature Geoscience.


Equipamento criado por israelenses transforma lixo orgânico em biogás

Cozinhar alimentos com combustíveis sólidos como madeira e carvão vegetalparece ser uma das opções mais saudáveis, mas… a Organização Mundial daSaúde afirma que até 4,3 milhões de mulheres e crianças morrem anualmentedireta ou indiretamente pelos efeitos causados por estes combustíveis.

Esta informação chegou até os israelenses da HomeBioGas através do secretáriogeral das Nações Unidas Ban Ki-moon, durante uma visita ao presidenteisraelense Reuben Rivlin em 2014, onde ele expressou a necessidade global de uma solução sustentável e segura paraquestão, nomeando o biodigestor criado pela companhia, HomeBioGas TG, a resposta para tal problema.

O biodigestor funciona através da energia gerada por alimentos orgânicos, como restos de comida, que é convertida emcombustível biogás, uma combinação de gás metano e dióxido de carbono. Este combustível pode ser usado para cozinharou aquecer ambientes, sem gerar odores desagradáveis, já o líquido gerado após o uso do gás pode servir como fertilizantepara a terra.

HomeBioGas TG é resultado de anos de pesquisas sobre outros biodigestores existentes na China e na índia. A equipeisraelense chegou à conclusão de que as populações carentes precisavam de um modelo inteiramente novo, a fim de serlançado na América Latina, Ásia e África. O produto foi testado primeiramente numa comunidade beduína em Israel e hojeé vendido separadamente por $2, 500 dólares.

Sol andou a roubar planetas ha 4 mil milhoes de anos


Há mais de quatro mil milhões de anos, o nosso Sol roubou centenas de miniplanetas gelados a uma estrela de passagem – e o peculiar planetóide Sedna é um deles.

Uma equipa de investigadores liderada por Lucie Jílkova, do Observatório de Leiden, nos Países Baixos, descobriu que o Sedna e uma dezena de outros planetóides pertencentes a outra estrela foram “sequestrados” pelo Sol quando se encontravam demasiado perto do nosso sistema.

Os investigadores chegaram a esta conclusão ao analisar as órbitas extraordinárias do Sedna no Cinturão de Kuiper, um dos objetos mais distantes conhecidos da nossa galáxia. Os resultados preliminares foram publicados este ano na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society e aprofundados num artigo lançado em junho.

Acredita-se que os seus vizinhos mais próximos, centenas de “anões de gelo” que populam o Cinturão de Kuiper para lá de Neptuno, possam ser vestígios gelados da formação do nosso Sistema Solar.

Sedna tem sido um mistério desde que foi descoberto, em 2003, devido à sua estranha órbita, refere a New Scientist, e não há nenhum objeto no Sistema Solar que possa causar esse desvio.

Com a ajuda de um supercomputador, os investigadores modelaram milhares de cenários para descobrir que combinação da massa da estrela, velocidade e distância do Sol poderia lançar os planetas anões gelados em órbitas semelhantes à do Sedna.

A investigação revelou que a estrela de origem deveria ser 80% mais massiva do que o Sol, e aproximar-se do nosso sistema a cerca de 34 mil milhões de quilómetros.

O mais provável é que o encontro das duas estrelas tenha acontecido quando o Sol era muito jovem, parte de um grupo de estrelas recém-nascidas. A composição química do Sedna e dos seus vizinhos são diferentes dos outros corpos do Cinturão de Kuiper, o que pode ser uma das provas da teoria de Jílkova.